Sobre Mim

  • FORMAÇÃO E REALIZAÇÕES:

    • Pós-Graduado em Ciência, Saúde e Espiritualidade pela Universidade Santa Cecília.
    • Psicólogo Clínico formado pela Universidade Católica de Santos (Unisantos).
    • Extensão curricular em Filosofia Clínica.
    • MBA Executivo em Recursos Humanos.
    • Formação em Hipnose Ericksoniana, Hipnose Clássica, Condicionativa e Letárgica.
    • Coach de Vida formado pelo instituto Vencer de Desenvolvimento Humano.
    • Formação em Programação Neurolinguística.
    • Membro do grupo santista de estudos e pesquisas de Psicologia Cognitivo Comportamental.
    • Membro do Instituto Vencer de Desenvolvimento Humano.
    • Palestrante e professor  nas áreas: Motivacional, Desenvolvimento de habilidades comportamentais e aspectos da Psicologia aplicados ao trabalho e cotidiano.
    • Atua com atendimentos individuais em Psicoterapia e Hipnoterapia focal breve.
  • COMO ME TORNEI PSICÓLOGO:

    Voltando no tempo, através de minhas lembranças, não encontro exatamente o momento em que decidi me tornar psicólogo. Acredito que essa era uma verdade que sempre existiu em mim. Não decidi pela psicologia depois de pesquisar sobre a profissão ou sobre o mercado profissional. O desejo de ser psicólogo sempre esteve ali, guardado em mim. Porém houve uma experiência relevante que pode ter ajudado em minha decisão profissional. Ocorreu no ano de 1997 quando eu cursava o ensino médio.

    Meus pais trabalhavam com um carrinho de praia onde vendíamos bebidas e lanches para os turistas. Foi uma época muito difícil, principalmente no inverno quando não havia turistas para consumir nossos produtos já que não é comum as pessoas irem a praia nos dias de frio e chuva. Havia um sebo de livros e revistas em quadrinhos numa rua próxima ,onde ficava o carrinho de lanches de meus pais. Dona Vitória era proprietária do sebo,  montado na sala de sua humilde casa. Com alguns centavos que  juntava, eu frequentemente ia até lá, comprar gibis de heróis e alguns livros clássicos da antiga coleção vagalume (meu favorito era “o escaravelho do diabo”, um livro ótimo!). Por algum motivo, os livros da sessão de Psicologia sempre chamavam minha atenção, mas eu nunca os comprava. Achava que não os entenderia devido à escrita ser bem técnica e rebuscada.

    Um dia, dona Vitória  fez-me  um desconto especial num livro que falava sobre TENSÕES e ANSIEDADES, depois de perceber o quanto eu folheava o mesmo livro. Isso fez com que eu tivesse a chance de ler com calma aquele volume, que tanto me despertava interesse . Levei o livro para ler na praia sem muitas esperanças de gostar dele. Mas, conforme me aprofundava na leitura,  mais encantado ficava com todas as técnicas, explicações e teorias da psicologia ali apresentadas. Mal sabia que esse livro falava sobre uma abordagem conhecida como Cognitivo Comportamental (teoria a qual hoje também sou adepto), e que existiam dezenas de outras abordagens psicológicas a serem conhecidas. Comecei a comprar quantos livros de psicologia fossem possíveis. Até hoje os guardo  com muito carinho, apesar do tempo já ter desgastado cada um deles. Quando terminei o ensino médio foi a fase de lutar para ingressar  e pagar o curso universitário. Infelizmente cursar uma faculdade no Brasil é algo muito custoso. Precisei reivindicar bolsa destinada para atletas (pratiquei e disputei competições de diversas artes marciais durante toda vida), e trabalhei! Tive vários empregos, serviços aos finais de semana, e vendia diversos produtos para alcançar meu objetivo. Foi um grande sacrifício, mas venci! Formei-me psicólogo.

    Atualmente, como profissional , estudo mais do que na época da faculdade, isso por que a Psicologia é uma ciência vasta e cada vez mais encantadora. Tenho o maior entusiasmo de me aprofundar em novos conhecimentos, novas pesquisas. Frequento dois grupos de estudos com colegas altamente competentes, que me motivam a me desenvolver . Talvez meu maior defeito como psicólogo (e confesso ser um defeito do qual não quero nunca melhorar) seja ser eclético. Gosto de muitas escolas e abordagens da psicologia. Como não conseguia me decidir se iria estudar psicanálise, cognitivo comportamental, psicodrama etc, decidi estudar  todas as abordagens que me fascinavam. Hoje realizo estudos e supervisão nas seguintes linhas: Cognitivo comportamental, psicologia humanista centrada na pessoa (Carl Rogers), Psicologia Analítica (Jung), e fenomenologia existencial (Rollo May, Irvn Yallon, e muitos outros brilhantes autores). Não me envergonho em dizer que quando sentir necessidade (ou apenas vontade) de conhecer algo novo dentro da psicologia , buscarei esse conhecimento e pretendo  mesclá-lo com tudo que estudei ao longo dos anos.

    Bruno Farias HipnoterapeutaEstudei várias abordagens de hipnose, tais como hipnose clássica, ericksoniana, condicionativa, hipnose letárgica, sistêmica e algumas outras. Com isso, adquiri a experiência que  hoje me permite ser  professor de hipnose clinica para profissionais da saúde, como médicos, psicólogos, enfermeiros, nutricionistas, dentistas e fisioterapeutas.

    Frequentemente escuto críticas em relação à hipnose. Em minha opinião, todas as críticas são causadas por falta de conhecimento, pois a hipnose já se mostrou uma ciência séria, com vasto material científico publicado e grande eficácia,  sendo utilizada como coadjuvante no tratamento clínico.

    No ano de 2008 iniciei nos estudos da Programação Neurolinguística. Percebi que existiam técnicas e conhecimentos na PNL úteis para o trabalho do psicólogo. Participei de vários cursos ao lado de grandes profissionais da área, até que no ano seguinte fui convidado a fazer parte do instituto VENCER DE ESENVOLVIMENTO HUMANO. Ali,  atuo  ao lado de uma amorosa e competente equipe a qual auxilio em treinamentos comportamentais de alto impacto e em cursos de formação. Um desses cursos é o COACH. Formado nesse processo, tenho um grande carinho pelas técnicas e ferramentas que o coach oferece para as pessoas atingirem seus objetivos de forma equilibrada e motivada.

    Nesse resumo sobre minha caminhada nos estudos do conhecimento humano, espero que meus futuros clientes sintam-se familiarizados comigo e a vontade para iniciarmos um trabalho juntos.

    Acho importante você saber que, houve um momento em minha vida, quando era estudante,no qual me sentia totalmente perdido, com uma forte sensação de tristeza devido a um profundo sofrimento que havia invadido minha existência. Aconteceram  coisas que sozinho não fui capaz de superar, então pela primeira vez fui fazer terapia. Eu já tinha  ido a psicólogos outras vezes para conhecer o trabalho e  realizar entrevistas , mas  dessa vez, eu procurei a terapia pois estava no fundo do poço emocional, com uma doença crônica que médico nenhum identificava ou tratava. Diziam-me sempre:  “isso é psicológico”. Então, não suportando mais aquele mal-estar, procurei ajuda.

    Foi surpreendente o resultado que a terapia me trouxe! Consegui ressignificar todos os acontecimentos que haviam me derrubado. Fui capaz de me desenvolver como pessoa. Encerrei um relacionamento amoroso que já não me fazia bem, desenvolvi autoestima, aceitação e paz comigo.

    E, para meu espanto, minha doença psicossomática desapareceu. Quando penso nessa fase da minha vida, sou grato pelo sofrimento que tive.Através dele pude mergulhar fundo na terapia, sem preconceitos ou resistências. Hoje, tenho a convicção profunda de que meu trabalho como psicólogo é eficaz, útil  e consegue trazer mudanças e benefícios para as pessoas. Se milhões de pessoas criticarem a psicologia, eu continuarei convicto de sua eficácia, pois a terapia já curou uma pessoa:  eu mesmo!

    Quando você me ligar para marcar suas sessões, ou me contratar para uma palestra, consultoria ou mesmo um curso, lembre-se : Posso não ser  o psicólogo mais renomado que existe, mas com certeza sou um dos mais entusiasmados e apaixonados pela profissão.

    Até Breve. Um forte abraço. Bruno Farias